UEA - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS
 Domingo, 21 de janeiro de 2018
institucional
BOAS VINDAS

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA TROPICAL

O Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical (PPGMT), área de concentração Doenças Tropicais e Infecciosas, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) funciona em convênio amplo com a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). Apresenta caráter interdisciplinar e multiprofissional, constituindo-se em espaço acadêmico para formação de mestres e doutores. Trata-se de um dos dois únicos programas de pós-graduação em Medicina Tropical/Doenças Infecciosas da Região Norte do Brasil.

CAPES: Avaliação Trienal 2013 Conceito 5
Período de avaliação: 2010 a 2012
Área de avaliação: Medicina II

Objetivos gerais do programa

A área de estudo do PPGMT contempla as doenças tropicais e infecciosas de maior ocorrência e impacto na Região Amazônica, em seus diversos aspectos biológicos, imunológicos, epidemiológicos, entomológicos, patogenéticos e terapêuticos. A parceria da UEA com uma instituição de pesquisa (FMT-HVD), que também é parte do Sistema Único de Saúde (SUS), permite uma permanente retro-alimentação das linhas e prioridades de pesquisa, com base na carga das doenças. Ou seja, a pesquisa aplicada que é desenvolvida no PPGMT é uma resposta aos principais problemas de saúde pública relacionados com doenças infecciosas, no Estado do Amazonas, colaborando de forma muito direta para o seu controle ou resolução.

O curso de mestrado acadêmico tem como objetivo específico estabelecer e aprofundar o conhecimento técnico e acadêmico de graduados da área de saúde e outras áreas afins, possibilitando a formação de docentes de ensino superior em doenças tropicais e infecciosas.

O curso de doutorado tem como objetivo formar pesquisadores em doenças tropicais e infecciosas, aptos à formação de grupos de pesquisa próprios e independentes, com ampla capacidade de captação de recursos, desenvolvimento de projetos de pesquisas originais, redação científica, além da consolidação da capacidade didática e de orientação/supervisão de alunos de graduação e de pós-graduação stricto sensu.

Histórico

A criação do PPGMT da UEA/FMT-HVD como primeiro programa de pós-graduação stricto sensu da UEA, em 2002, veio atender a uma importante demanda reprimida de qualificação de profissionais no Estado do Amazonas, na área da saúde, tornando-se o primeiro doutorado da saúde no estado, a partir de 2006. Após 10 anos de pleno funcionamento, o que traduz sua auto sustentabilidade, o curso admitiu 145 alunos de mestrado (98 titulados) e 48 alunos de doutorado (19 titulados). Atualmente estão regularmente matriculados 51 alunos. Muitos desses alunos já pertenciam ao quadro de pesquisadores e/ou docentes de Instituições de Ensino Superior (IES) ou Instituições de Pesquisa (IP) da Amazônia Brasileira. Outros foram absorvidos no mercado de trabalho local, contribuindo para a maior fixação de mestres e doutores no Amazonas, o que se constituiu em uma das principais metas da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do estado. A absorção de egressos no próprio quadro de docentes permanentes do PPGMT demonstra a relevância regional do mesmo para a Amazônia. Atualmente, seis docentes permanentes são egressos do programa, muitos deles tendo se dedicado a fortalecer linhas de pesquisa já existentes e criando novas linhas de pesquisa para o próximo triênio (2013-2015). No ano da criação do programa, não havia nenhum professor efetivamente concursado da UEA entre os docentes, sendo todo o seu quadro de doutores pertencente à FMT-HVD. Em 2011, com a realização do concurso da UEA foram abertas 11 vagas para professores adjuntos, nas áreas de Doenças Infecciosas e Parasitárias e Dermatologia, cinco dos atuais professores permanentes e uma professora colaboradora estão efetivados, dedicando-se, de forma complementar, ao ensino de graduação e pós-graduação, à pesquisa e à extensão. Dois dos professores concursados estão concluindo o doutorado no PPGMT e devem ingressar no corpo docente do mesmo ainda em 2013. Em função dos bons resultados alcançados ao longo desses 10 anos de existência do PPGMT, e pela relevância regional, a UEA abriu em 2012 concurso público para seleção de mais cinco professores adjuntos na área de Doenças Infecciosas e Parasitárias, para atuação também na pós-graduação.

Isso deverá permitir o incremento de professores permanentes vinculados à UEA e ao programa.

A participação permanente e efetiva de vários professores que tem ocupado o cargo de coordenação do programa, desde sua criação, tem permitido a renovação de idéias e a diversidade na gestão, com substanciais melhorias administrativas e acadêmicas a cada triênio em um processo harmônico de acumulação progressiva de experiências positivas. A formação de uma cultura sólida na gestão de programas de pós-graduação stricto sensu no Norte do país é também um objetivo secundário dessa estratégia, na expectativa de que cada vez mais programas sejam abertos, multiplicando as capacidades de formação para contribuir efetivamente para a superação definitiva das desigualdades regionais em relação ao número de mestres e doutores, em comparação com o restante do país.

Perspectivas de evolução e tendências
Quantidade e qualidade das publicações

Seguindo a tendência dos últimos anos do triênio, observou-se média de 771,3 pontos em publicações/docente do quadro permanente, sendo que 93,3% deles obteve mais de 225 pontos. Adicionalmente, 68,3% dos pontos foi obtido em revistas Qualis A1, A2 e B1. Portanto, entendemos que esse perfil de publicações alcançou metas claramente definidas durante o último triênio, pelo grupo, o que nos permite almejar metas mais ousadas para o futuro, o que é factível tendo em vista o aumento do número de alunos e projetos aprovados.

Análise SWOT

O programa tem se valido de uma importante ferramenta de avaliação anual de prioridades de pesquisa para seus projetos de dissertações e teses, baseada na análise SWOT, que avalia fortalezas, fraquezas, oportunidades e ameaças (Strenghtens, Weaknessess, Opportunities e Threats). Isso tem permitido que nossos alunos e docentes possam se concentrar em problemas mais reais e atuais de onde a boa pesquisa seja derivada. Como exemplo temos a entrada, a partir de 2011, de migrantes haitianos no Estado do Amazonas, alguns deles infectados por Wuchereria bancrofti, agente em fase de eliminação no país, e com possibilidade de serem portadores do vibrião colérico presente no Haiti depois do terremoto. O fato foi interpretado como uma oportunidade de entender o impacto da re-introdução de novas doenças no Brasil a partir dos movimentos migratórios e prontamente permitiu o desenvolvimento de um projeto de dissertação de mestrado. Da mesma forma que a tuberculose, em franco crescimento no Amazonas, tem sido uma das prioridades do programa, não apenas pela epidemiologia local, mas também pela oportunidade de captação de recursos nacionais e internacionais. A análise SWOT será convertida em disciplina optativa oferecida a partir de 2013.

Oferta de disciplinas optativas

Para o próximo triênio, já estão programadas mais disciplinas optativas, que atendam às reais necessidades dos alunos e a diversidade dos projetos. As novas disciplinas vão permitir número menor de alunos matriculados em cada uma delas, com um interesse mais específico, o que deve melhorar o seu rendimento. As disciplinas já são praticamente 100% coordenadas por professores do quadro permanente, enriquecendo-se com a participação de professores externos como colaboradores, ao contrário do início do curso, quando muitos coordenadores de disciplinas eram externos. Na área de transferência de tecnologia, parcerias internacionais importantes nas disciplinas optativas têm tido grande êxito, tendo como exemplo a disciplina de Expressão de Proteínas em Germe de Trigo com aplicação em doenças infecciosas, que contou com a participação dos professores Carmen Fernandez-Becerra e Hernando del Portillo, da Universidade de Barcelona. A disciplina introduziu em nossos laboratórios essa importante técnica, e contou com a participação de alunos especiais de várias partes do Brasil. Alem disso, contribuiu para a integração de vários grupos de pesquisa locais.

Credenciamento de novos docentes recém-titulados

O PPGMT não tem se furtado ao dever de absorver jovens doutores formados pelo programa no seu quadro de docentes permanentes. Entendemos que a missão do programa é também oferecer oportunidades para que jovens doutores possam começar a orientar alunos de mestrado e posteriormente doutorado. Ainda que a produtividade não esteja dentro das metas estabelecidas pelo colegiado, temos dado chance a esses jovens pesquisadores por entender que a falta de outros programas na área da saúde no Amazonas limita a atuação desses pesquisadores. Entendemos também que sua participação no programa, ainda que na forma de colaboradores, pode contribuir para a consolidação de sua formação como orientador. No ano de 2012, apenas um dos 15 professores não atingiu a meta de publicações esperada para o conceito 5 para esta avaliação, o que se constituiu em 6,6% dos professores.

Aumento do número de alunos em dedicação exclusiva ao programa.

Desde a criação do programa, tanto nos cursos de mestrado quanto de doutorado, cerca de 90% dos alunos selecionados ingressavam com vínculo empregatício, e os que não tinham, antes mesmo de obter a titulação, eram absorvidos pelo mercado de trabalho das IES públicas, privadas, bem como em IP ou de assistência à saúde da região. Entretanto, observa-se uma mudança desse cenário, com maior número de alunos em dedicação exclusiva (48% de mestrandos e 54% de doutorandos). Essa característica do corpo discente explica a necessidade crescente de implementação de bolsas de mestrado e doutorado para alunos sem vínculo empregatício, na estratégia de permitir a dedicação exclusiva e a formação cada vez mais sólida dos egressos.

Abrangência nacional e internacional

Dentre as justificativas mais frequentes de nossos alunos para o ingresso nos nossos cursos, está a oportunidade de realizar uma pós-graduação em Medicina Tropical com especialização nas áreas que constituem problema de saúde da região, sem haver mais a necessidade de deslocamento para fora da Região Norte. Ao longo desses anos de atuação, temos também cada vez mais recebido alunos de outros estados da Amazônia Brasileira. Esse fato tem motivado a discussão do colegiado sobre o oferecimento de cursos de doutorado inter-institucionais (DINTER) em outros estados vizinhos. A busca por profissionais de outros países latino-americanos (Colômbia, Venezuela), africanos (São Tomé e Príncipe) ou mesmo europeus (Espanha) tem agregado uma experiência importante de internacionalização na relação entre corpo docente e discente, ampliando inclusive os horizontes das principais linhas de pesquisa do programa. Os cartazes de divulgação dos processos seletivos hoje são enviados em meio físico para várias IES e IP de todo o mundo, assim como chamadas em sites de sociedades e revistas científicas internacionais de grande visibilidade. Em 2013 será assinado o convênio de co-tutela com a Universidade de Barcelona (Espanha), com quem a UEA já mantém estreita colaboração técnico-científica.

Seguindo esta tendência, já em 2013, o PPGMT matriculou 10 alunos de doutorado e 17 alunos de mestrado, aumentando portanto o numero de vagas oferecidas, o que deve ser mantido para o triênio 2013-2015.

Doutorado sanduíche

Com a meta constante de internacionalizar o PPGMT, queremos investir nesse próximo triênio no incentivo ao início dos doutorados do tipo sanduíche, valendo-nos das parcerias internacionais já estabelecidas. Para isso, o processo de seleção para o doutorado já tem tido uma maior preocupação na seleção de alunos com habilidades em outras línguas, em especial o inglês, o que tem sido um limitante da implementação de bolsas sanduíche atualmente.

Seleção do curso de doutorado em fluxo contínuo

O colegiado dos cursos tem a clareza de que a seleção anual para o doutorado tem causado a perda de pessoas bem qualificadas por nós no mestrado. É fundamental que alunos que terminaram o mestrado possam ingressar com mais celeridade no curso de doutorado. Portanto, o regimento interno do programa foi revisado e adequado para permitir o ingresso de doutorandos em um regime de fluxo contínuo que entrará em vigência a partir do primeiro semestre de 2013.

Aumento do número de alunos de pós-doutorado

A atração de estudantes de pós-doutorado para Manaus tem sido crescente, não apenas pela maior oferta de bolsas no Brasil, como pelo maior interesse na pesquisa em doenças tropicais em áreas endêmicas. Já existem dois estudantes atuando no PPGMT com financiamento da CAPES e da Bill & Melinda Gates Foundation e um aluno será selecionado para a bolsa financiada pelo programa PVE do CsF. Com a recente regulamentação dos estudantes de pós-doutoramento pela UEA e a abertura de editais para fixação de doutores no Amazonas, pela FAPEAM com bolsas DCR, certamente haverá incremento do número de bolsistas de pós-doc no PPGMT, em especial para os estrangeiros, com a finalidade de transferir tecnologia para nossos laboratórios e auxiliar no processo de formação de nossas alunos de mestrado e doutorado.

Interdisciplinaridade

O programa sempre esteve comprometido com a interdisciplinaridade desde sua fundação, o que de fato tem se mostrado uma fortaleza do mesmo. Entretanto, ainda não investiu na seleção de profissionais de fora da área da saúde, o que poderia representar um grande ganho para um programa em que a interdisciplinaridade é ainda mais fundamental para que a pesquisa de boa qualidade seja realizada. Tencionamos incentivar não apenas a entrada de outros profissionais da saúde menos frequentes no corpo discente ao longo dos anos, como nutricionistas, fisioterapeutas, biomédicos, mas também a entrada de geógrafos, estatísticos, físicos, antropólogos, assistentes sociais, psicólogos, entre outros. Para isso é importante a revisão e atualização permanente das linhas de pesquisa do programa para consolidá-las efetivamente como linhas de abrangência interdisciplinar.

Atualização das linhas de pesquisa

As linhas de pesquisa do PPGMT estão em constante atualização, atendendo aos interesses de saúde pública locorregionais e da expertise de novos membros do quadro docente permanente e de colaboradores. Pretende-se, para o próximo triênio fortalecer a linha de pesquisa em AIDS, tendo em vista que a FMT-HVD tem vivenciado nítida transição epidemiológica no sentido do aumento do número de casos e do número de internações por essa doença. Alem disso, pretende-se criar a linha de pesquisa em Acidentes por animais peçonhentos, considerando que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou esta a doença mais negligenciada do século. A FMT-HVD é a referência no estado para esse tipo de agravo e contará a partir de 2013 com a colaboração técnico-científica do Instituto Butantan de São Paulo.

Capacitação em boas práticas clínicas e de laboratório

Em alguns projetos, a exigência do treinamento em boas práticas clínicas (GCP) e de laboratório (GLP) tem sido motivada pelas próprias agências financiadoras. Entretanto, é meta para o próximo triênio preparar todos os alunos matriculados nesses itens que refletem, em última análise, a busca por uma pesquisa de melhor qualidade e credibilidade internacional. Cursos on-line estão sendo realizados para preencher essa lacuna, e devem se tornar rotineiros e obrigatórios a todos os alunos matriculados, aproveitando a participação da FMT-HVD na Rede Nacional de Pesquisa Clínica.

Fortalecimento dos grupos de pesquisa e construção de equipes

O fortalecimento da pesquisa realizada no programa está diretamente vinculada ao fortalecimento dos grupos de pesquisa atrelados a ele. A FMT-HVD tem hoje 10 grupos de pesquisa credenciados pela instituição. A constante discussão do papel desses grupos de pesquisa e suas prioridades deve impactar diretamente no PPGMT. Uma importante medida que será adotada a partir de 2013 é a construção de um STAC (Scientific and Technical Advisory Committeee), com a participação de consultores ad hoc nacionais e internacionais para avaliar a qualidade da pesquisa dos grupos e re-definição de suas prioridades. O STAC também é uma parceria entre UEA e FMT-HVD.

A construção de equipes dentro de cada grupo também é uma estratégia importante para a motivação dos grupos e sentido de equipe (Team Building). Alguns grupos já realizam de forma periódica encontros anuais para compartilhar motivações e integrar seus membros.

Projetos transversais aglutinadores

O programa pretende construir a partir de 2013 projetos maiores mais transversais que permitam a participação de mais grupos de pesquisa em um mesmo projeto multidisciplinar. Isso permite a maior integração entre os grupos de pesquisa, fortalecendo capacidades e permitindo mais inovação. Uma das metas também é integrar a pesquisa do PPGMT com outros programas de pós-graduação da UEA afins, tais como o de Hematologia e Hemoterapia (recém-aberto, em parceria com o HEMOAM, e do qual alguns docentes participam simultaneamente) e o de Biotecnologia.

Aumento de parcerias público-privadas

Alguns projetos de tese já são financiados pela indústria farmacêutica. Entretanto, em função de alguns projetos isolados serem multicêntricos e internacionais, não permitem a livre definição de co-autoria. Mesmo assim, a participação de alunos tem se revelado uma importante chance de vivenciarem o dia-a-dia de ensaios clínicos e incorporarem boas práticas clínicas (GCP). Muitos dos contratados desses projetos se convertem posteriormente em alunos de mestrado ou doutorado, pela afinidade que adquirem com a boa pesquisa de qualidade. Com a construção da Unidade PESCLIN III, pretende-se aumentar a captação de projetos de ensaios clínicos financiados pela indústria farmacêutica, seja pela maior captação de recursos, pela vocação da área endêmica de Manaus ou pela inserção da FMT-HVD dentro da Rede Nacional de Pesquisa Clínica do Ministério da Saúde, o que se constitui em uma fortaleza do programa.

Periódicos da CAPES
Revista Brasleira de Pós-Graduaçao
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Curriculo Lattes
Fundaçao de Amparo a Pesquisa no Estado do Amazonas
Coordenaçao de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Coordenaçao de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
© Governo do Amazonas. Todos os direitos reservados.